Archive for the ‘Clássico!’ Category

Corinthians e Palmeiras estão entre os 10 maiores clássicos do mundo!

outubro 23, 2008

 

Nesta quinta-feira, a rede americana CNN publicou em seu site a lista das dez maiores rivalidades mundiais, segundo a empresa. O único clássico brasileiro mencionado no texto foi o Palmeiras x Corinthians. O duelo paulista aparece em nono lugar. A matéria destaca como começou a rivalidade entre os dois clubes: ”O Corinthians era o único time da cidade, mas um grupo de italianos fundou o Palmeiras.” 

Em primeiro na lista, a CNN destaca a rivalidade escocesa entre o Celtic e o Rangers. O duelo mexe não só com o futebol, mas também com o fanatismo religioso do país. Em segundo aparece o clássico italiano Lazio x Roma.

A rivalidade entre Boca Juniors e River Plate não poderia ter ficado fora da lista. O “duelo hermano” figura na terceira posição da lista da rede, que o classifica como “o mais intenso da América do Sul”.

Confira a lista completa:

1) Celtic e Rangers, Escócia
2) Lazio e Roma, Itália 
3) Boca Juniors e River Plate, Argentina

4) Al Ahly e Zamalek, Egito
5) Galatasaray e Fenerbahce, Turquia

6) Olympiakos x Panathinaikos, Grécia
7) Red Star Belgrade x Partizan Belgrade, Sérvia

8) Wydad x Raja Casablanca, Marrocos

9) Corinthians x Palmeiras, Brasil

10) Peñarol x Nacional, Uruguai 

fonte:globo.com

By Fernando Arbex

Anúncios

Na estréia do futebol feminino, Brasil empata com a Alemanha!

agosto 6, 2008

Em sua estréia no torneio feminino de futebol dos Jogos de Pequim, nesta quarta-feira, a seleção brasileira ficou no empate por 0 a 0 com a Alemanha e segue sem vencer o time germânico. Agora são sete jogos, com quatro vitórias das européias e três empates.

 Brasil começou o jogo com uma forte marcação, pressionando a saída de bola alemã e buscando o ataque. Logo aos três minutos, Daniela Alves cobrou falta na área e a goleira Angerer quase se complicou ao rebater a bola.

Contudo, logo a Alemanha conseguiu equilibrar a partida e oferecia nas chegadas de Garefrekes pela direita. Em uma delas, a alemã cruzou para o bom corte da goleira Andréia.

Após estes lances iniciais, as equipes passaram a se estudar e pouco chegavam ao ataque. Foi então que apareceu Marta, fazendo boa jogada pela esquerda e cruzando para a cabeçada de Cristiane, que passou sobre o gol alemão.

As equipe voltaram mais dispostas a atacarem no segundo tempo e Prinz foi a primeira a levar perigo, ao ganhar da zaga brasileira e chutar para fora.

O Brasil respondeu com Formiga, que, após jogada ensaiada em uma cobrança de escanteio, arriscou para o gol.

O Brasil perderia a chance mais clara de gol até o momento aos 20 minutos. Após confusão na área alemã, a bola sobrou para Marta, que, livre, chutou para fora.

Aos 40 minutos, a número 10 do Brasil faria grande jogada, ao puxar um rápido contra-ataque, mas acabou pecando na finalização, defendida por Angerer, que assim garantiu o empate por 0 a 0.

Brasil
Andréia Suntaque; Simone, Andréia Rosa, Tânia Maranhão, Renata Costa; Maycon, Rosana, Formiga, Daniela Alves; Marta e Cristiane (Pretinha).
Técnico: Jorge Barcellos

Alemanha
Angerer; Stegemann, Krahm, Hingst, Bresonik;, Behringer (Bajramaj), Lingor, Laudher, Garefrekes; Smisek (Okoyino) e Prinz
Técnico: Silvia Neid

Data: 06/08/2008 (quarta-feira)
Local: estádio Olímpico de Shenyang (China)
Arbitragem: Kari Seitz (EUA)
Auxiliares: Marlene Duffy e Verônica Perez (EUA)
Cartão amarelo: Tânia Maranhão (BRA)

Fonte:gazetaesportiva

By Fernando Arbex

Espanha elimina Itália nos pênatis!

junho 23, 2008

Duas das principais seleções européias, Espanha e Itália disputaram um jogo pragmático neste domingo, para a definição do último classificado para as semifinais da Eurocopa-2008. Depois de um empate por 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação, quem acabou levando a melhor no desempate por pênaltis e ganhou o direito de enfrentar a Rússia na etapa seguinte foi a Espanha, com um placar de 4 a 2 nas cobranças.

As duas seleções começaram o jogo de forma parecida: cautelosas. Só que o respeito entre espanhóis e italianos foi tanto que poucos lances ofensivos foram construídos. A Fúria, contudo, acabou conseguindo se manter mais tempo no ataque por ter mais disposição, e levou mais perigo a Gianliuigi Buffon.

As únicas duas oportunidades em que a Azzurra deu um pouco de trabalho ao goleiro Iker Casillas saíram de bola parada. Na primeira delas, Ambrosini cruzou da esquerda e Simone Perrotta cabeceou sozinho na grande área, mas sem força suficiente para dificultar a vida do arqueiro espanhol. Na segunda, Antonio Cassano levantou e Luca Toni conseguiu desviar, mas a bola bateu em Carlos Marchena antes mesmo de entrar na pequena área.

Do outro lado do campo, a Espanha, titular, foi mais perigosa, e teve a melhor chance do primeiro tempo aos 37 minutos de jogo. Fernando Torres avançou pela esquerda, driblou Zambrotta e deixou o italiano no chão, limpou o segundo marcador e chutou. A zaga italiana cortou no meio do caminho, mas David Silva pegou o rebote e chutou cruzado. A bola passou muito perto da trave direita de Buffon, mas saiu pela linha de fundo.

Os dois treinadores voltaram para o segundo tempo com a mesma equipe, mas efetuaram as primeiras mudanças antes dos 15 minutos: na Itália, saiu Simone Perrotta para a entrada de Mauro Camoranesi, enquanto a Espanha trocou Xavi e Iniesta por Santi Cazorla e Cesc Fabregas.

O segundo tempo, no entanto, continuou morno. A Espanha seguiu pressionando e teve algumas chances em contra-ataques, mas pecava no último passe e sequer conseguia finalizar. A Fúria, no entanto, teve uma grande chance quase que ‘por acaso’: Marcos Senna arriscou de fora da área e Buffon se preparou para encaixar, mas deixou a bola escapulir de suas mãos. Quem ‘salvou’ a Itália foi a trave direita, onde a bola se chocou caprichosamente.

Na prorrogação, a Espanha foi melhor, só que não acertava a meta de Buffon. Já a Itália errava muitos passes e Luca Toni jogava muito isolado na frente. Com isso, o jogo foi para os pênaltis.

Nas penalidades, Casillas defendeu as cobranças de De Rossi e Di Natale. Buffon ainda deu esperanças à Itália, ao pegar o pênalti de Güiza, mas Fábregas fechou a série e fez a festa espanhola.

Espanha
Casillas; Sergio Ramos, Puyol, Marchena e Capdevila; Marcos Senna, Iniesta (Cazorla), Xavi (Fábregas) e David Silva; Villa e Fernando Torres (Güiza)
Técnico: Luis Aragonés

Itália
Buffon; Zambrotta, Panucci, Chiellini e Grosso; Ambrosini, De Rossi, Perrotta (Camoranesi) e Aquilani (Del Piero); Toni e Cassano (Di Natalle)
Técnico: Roberto Donadoni

Local: Estádio Ernst Happel, em Viena, na Áustria
Data: 22/06/2008 (domingo)
Árbitro: Herbert Fandel (ALE)
Auxiliares: Carsten Kadach (ALE) e Volker Wezel (ALE)
Cartões Amarelos: Ambrosini (I); Iniesta, Cazorla e Villa (E)

Fonte:gazetaesportiva.net

By Fernando Arbex

Hoje é dia de Brasil x Argentina!

junho 18, 2008

Hoje é dia do maior clássico da história do futebol. Brasil e Argentina são as duas maiores escolas e isso nenhum país do mundo duvida. Os melhores jogadores desde sempre saem dos dois países, vizinhos por sinal.

E hoje, ás 21h50min, Brasil e Argentina se enfrentarão no Mineirão.

Para Dunga, técnico da Seleção Brasileira, uma vitória no clássico contra a Argentina, nesta quarta-feira, vale mais que três pontos na classificação das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2010. Balançando no cargo, o treinador precisa de um bom resultado em Belo Horizonte para se tranqüilizar.

Enquanto treinador do Brasil, Dunga – longe de ser unanimidade desde sua contratação, após o fracasso na Copa de 2006 – nunca esteve tão pressionado. A equipe vem de dois fracassos seguidos: derrotas por 2 a 0 em amistoso contra a Venezuela e em partida das Eliminatórias contra o Paraguai, esta no domingo passado.

Para evitar novo vexame – desta vez em casa -, o treinador deve fazer mudanças em relação ao time que jogou em Assunção. No meio-de-campo, Anderson e Julio Baptista estão cotados para as vagas de Josué e Diego, respectivamente. No ataque, Adriano pode desbancar Luis Fabiano.

FICHA TÉCNICA:
BRASIL X ARGENTINA

Estádio: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data/hora: 18/6/2008 – 21h50min (de Brasília)
Árbitro: Óscar Ruiz (COL)
Auxiliares: Wilson Berrío (COL) e Rafael Rivas (COL)

BRASIL: Hélton, Maicon, Lúcio, Juan e Gilberto; Mineiro, Gilberto Silva, Anderson e Julio Baptista; Robinho e Luis Fabiano (Adriano). Técnico: Dunga.

ARGENTINA: Abbondanzieri, Zanetti, Burdisso, Coloccini (Gonzalo Rodríguez) e Heinze; Gago, Battaglia, Maxi Rodríguez e Riquelme; Messi e Agüero. Técnico: Alfio Basile.

Fonte:lancenet

By Fernando Arbex

Boston arrasam Lakers e conquistam a NBA!

junho 18, 2008

O Boston Celtics não esperou chegar a sétima partida da decisão da NBA para conquistar um título após 22 anos na fila. Em uma grande exibição, a equipe arrasou o Los Angeles Lakers, por 131 a 92, e fechou a série em 4 a 2.

O grande destaque da partida foi Kevin Garnett, que comemorou muito seu primeiro título na NBA. O ala conseguiu um double-double na partida, marcando 26 pontos e 14 rebotes.

Outro nome decisivo no jogo foi Ray Allen, que foi cestinha do duelo ao lado de Garnett, com 26 pontos. Allen conseguiu a bela marca de sete arremessos certos de 3 pontos em nove tentativas.

O título da temporada 2007/2008 da NBA, foi 17º em sua história.

Fonte: terra

By Fernando Arbex

Holanda vence Itália pelo “grupo da morte”!

junho 10, 2008

A Holanda venceu a Itália por 3 a 0 na estréia das duas equipes na Eurocopa, nesta segunda-feira, em Berna, na Suíça. O jogo foi o primeiro clássico da competição continental e ainda foi válido pelo Grupo C, o chamado “da morte”.

Após esta primeira rodada, os holandeses lideram o grupo com três pontos, seguidos pelos franceses e romenos, que empataram sem gols e somam um ponto cada. Italianos, que são os atuais campeões do mundo, estão na lanterna sem nenhum ponto e com saldo de gols ruim.

O jogo

A Itália começou assustando mais. Logo aos três minutos, Luca Toni por pouco não desvia um cruzamento para as redes. Aos 11, o mesmo Luca Toni cabeceou a bola perto da trave. A Holanda respondeu em investida de Nistelrooy dentro da área. O atacante chegou a driblar o goleiro Buffon, mas perdeu o equilíbrio e o ângulo para chutar.

Depois de criar mais algumas chances, a Holanda abriu o placar, aos 25. Buffon afastou a bola de soco após uma cobrança de falta. O ataque holandês chutou de fora da área na sequêcnia do rebote, e Nistelrooy, em posição duvidosa, desviou para as redes.

Os holandeses ampliaram seis minutos depois em um contra-ataque mortal. A bola foi lançada da ponta esquerda para a direita. Kuyt cabeceou para a área, e Sneijder bateu de primeira para o gol.

Ainda antes do intervalo, Nistelrooy ficou de frente para Buffon, que defendeu com os pés o forte chute do atacante.

Na etapa final, Zambrotta desceu bem pela esquerda, mas bateu sem ângulo, e a bola foi para fora. Grosso entrou no lugar de Materazzi e deu mais força ao meio-campo da Itália. Pouco depois, Del Piero substituiu Di Natale.

No primeiro lance do experiente meia, ele deu um chute colocado na entrada da área para a defesa de Van Der Sar. A pressão italiana foi aumentando. Aos 24, em outro arremate de Del Piero, a bola passou perto do gol. Luca Toni teve ótima oportunidade para diminuir, aos 30, mas bateu por cima de Van der Sar, quando estava sozinho com o goleiro holandês.

Depois de mais duas chegadas da Itália e duas boas defesas de Van der Sar, a Holanda matou o jogo, com gol de Bronckhorst, após um contra-ataque, aos 34. Kuyt pegou rebote do próprio chute, cruzou, e o lateral-esquerdo bateu para as redes. Nos acréscimos, Ambrosini quase diminuiu, mas a bola foi para fora.

Na próxima sexta-feira, a Itália enfrenta a Romênia, às 13h (horário de Brasília), e a Holanda joga com a França, às 15h45.

Holanda
Van der Sar; Ooijer, Boulahrouz (Heitinga), Mathijsen e Van Bronckhorst; De Jong, Engelaar, Sneijder, Van der Vaart e Kuyt; Van Nistelrooy (Van Persie)
Técnico: Marco van Basten

Itália
Buffon, Panucci, Barzagli, Materazzi (Grosso), Zambrotta; Gattuso, Ambrosini; Pirlo, Camoranesi (Cassano), Di Natale (Del Piero); Luca Toni
Técnico: Roberto Donadoni

Local: Estade de Suisse, em Berna, na Suíça
Árbitro: Peter Fröjdfeldt (SUE)
Auxiliares: Stefan Wittberg (SUE)e Henrik Andrén (SUE)
Cartões Amarelos: Luca Toni, Gattuso e Zambrotta (I); de Jong (H)
Gols: Nistelrooy (H), aos 25, e Sneijder (H), aos 31 minutos do primeiro tempo; Bronckhorst (H), aos 34 minutos do segundo tempo

Fonte: UOL

By Fernando Arbex

Relembrando velhos tempos, Celtics e Lakers fazem final da NBA!

junho 5, 2008

Nas finais de Conferência a situação já estava colocada. No Oeste o grito era “Vença L.A.”, enquanto no Leste a torcida pedia “Que venham os Lakers”. Na noite desta quinta-feira, Los Angeles Lakers e Boston Celtics revivem uma rivalidade histórica da década de 80, uma das mais emocionantes da Liga, decidindo o título desta temporada.

Desta vez não haverá Red Auerbach, Bill Russell ou Jerry West na quadra, mas Kobe Bryant, Paul Pierce, Kevin Garnett e Ray Allen prometem não decepcionar. Afinal, foram 21 anos de espera até o reencontro e, para os Celtics, igual período sem almejar concretamente um novo anel de campeonato.

”Isto é uma coisa fantástica. Não apenas para a NBA, mas para o esporte como um todo”, explica o armador Derek Fisher. “É sensacional quando os melhores têm a oportunidade de enfrentar os melhores e seja quem for que saia por cima, eles mereceram. As duas equipes devem estar orgulhosas”.

Juntos, Celtics e Lakers já conquistaram 30 dos 61 títulos na história da liga, mas desde 1987 não se encontravam em uma decisão. A espera promete corresponder a todas as expectativas da torcida.

Mas a partir desta noite, a conversa não é sobre conquistas pessoais, mas do grupo e é o próprio Garnett quem explica. “O motivo de nós três funcionarmos tão bem (juntos) é que nós não falamos sobre sacrifício. Isto é algo que nós exercitamos de fato. É nosso meio de vida. É o que nós fazemos, o que estamos fazendo… Colocamos o time acima de qualquer coisa e a vitória acima disso, e no final do dia isto é tudo o que importa”.

Fonte/; GazetaEsportiva.Net

By Fernando Arbex

São Paulo vence Fluminense e fica próximo da semi-final da Libertadores!

maio 15, 2008

No duelo de tricolores, o paulista levou vantagem sobre o carioca. Empurrado por mais de 60 mil pessoas, o São Paulo bateu o Fluminense por 1×0 e ficou muito próximo da semi-final da Taça Libertadores da América.

Mesmo com uma equipe mais ofensiva, com Dodô no lugar de Conca, o time de Renato Gaúcho quase não deu trabalho para Rogério Ceni, a não ser em um chute de Thiago Neves ao 10 minutos do segundo tempo e um de Conca aos 40.

Já o São Paulo, mesmo com três volantes, foi superior os 90 minutos. Adriano estava em uma noite inspirada e incomodou muito a zaga do flu. Aos 20 minutos da primeira etapa, Dagoberto bate cruzado pelo lado esquerdo. Fernando Henrique espalma para o meio da área e Adriano completa para o gol com calma: 1 a 0.

No segundo tempo o tricolor paulista ainda teve mais duas oportunidades de ampliar. Aos 5, Richarlyson emenda chute forte, mas Fernando Henrique salva o Fluminense. E aos 13, Dagoberto se livra de dois adversários, mas chuta para fora.

Agora, a equipe do técnico Renato Gaúcho precisa vencer o jogo de volta, que acontece na próxima quarta-feira, por dois gols e ainda não sofrer nenhum. Caso vença somente por 1 a 0, a decisão vai para as penalidades. Qualquer empate dá a vaga ao time paulista.

SÃO PAULO 1X0 FLUMINENSE

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Jancarlos, Miranda, Alex Silva e Richarlyson; Fábio Santos, Zé Luis, Hernanes e Hugo; Dagoberto (Aloísio) e Adriano
Técnico: Muricy Ramalho

FLUMINENSE
Fernando Henrique, Gabriel, Luiz Alberto, Roger e Júnior César; Ygor, Arouca, Cícero, Thiago Neves (Darío Conca) e Júnior Cesar; Washington e Dodô.
Técnico: Renato Gaúcho

Data: 14/05/2008 (quarta-feira)
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo
Árbitro: Óscar Ruiz (COL)
Auxiliares: Humberto Clavijo (COL) e Rafael Rivas (COL)
Público: 61.593 pagantes
Renda: R$1.716.276,00
Cartões amarelo Thiago Neves (F), Jancarlos (SP), Dagoberto (SP), Hernanes (SP), Roger (F)
Gols: Adriano, aos 20min do primeiro tempo

By Fernando Arbex

Chelsea empata no último minuto contra o Liverpool!

abril 23, 2008

No primeiro confronto das semi-finais da Liga dos Campeões, Liverpool e Chelsea fizeram um jogão. Os donos da casa tinham muita dificuldade em chegar ao ataque, já que o Chelsea dominava o setor do meio de campo.

Mas na base dos lançamentos, o time copeiro do Liverpool foi chegando ao gol adversário. Aos 12 minutos, Kuyt recebeu bom passe de Alonso e desperdiçou grande chance dentro da área em defesa de Petr Cech.

 
Aos 30, foi a vez de Fernando Torres ficar na frente de Cech e finalizar em cima do goleiro. De tanto insistir, o gol saiu. Aos 42, Kuyt aproveitou rebote dentro da área após falha de Lampard e chutou forte para abrir o placar.

Na segunda etapa, o Liverpool começou melhor e foi em busca do segundo gol. Mas cedia os contra-ataques, muito perigosos pelo lado do Chelsea. Drogba e Malouda incomodavam lá na frente. Mas com o andar do jogo, o rendimento de ambas as equipes despencou.

Só que no apagar das luzes, aos 49 do segundo tempo, o Chelsea empatou. Após cruzamento da esquerda, o zagueiro Riise fez gol contra e selou o empate.

Terceiro maior vencedor da competição européia com cinco títulos, o Liverpool precisa vencer fora de casa, dia 30, para garantir a vaga na decisão. Um empate por um placar a partir de 2 a 2 também leva o time à final da Liga dos Campeões pela terceira vez nos últimos quatro anos.

“Hoje [terça-feira] demos um grande passo, foi um resultado muito bom. Controlamos o jogo, mas não havia muitas chances. Foi uma semifinal típica”, celebrou o treinador Avram Grant.

LIVERPOOL
Reina, Arbeloa, Skrtel, Carragher e Fábio Aurélio (Riise); Mascherano, Xabi Alonso, Gerrard e Babel (Benayoun); Kuyt e Fernando Torres
Técnico: Rafa Benítez

CHELSEA
Cech; Paulo Ferreira, Ricardo Carvalho, John Terry e Ashley Cole; Makelele, Ballack (Anelka), Lampard, Joe Cole (Kalou) e Malouda; Drogba
Técnico: Avram Grant

Local: estádio Anfield, em Liverpool (ING)
Árbitro: Konrad Plautz (AUT)
Auxiliares: Egon Bereuter e Markus Mayr (ambos da AUT)
Cartão amarelo: John Terry (C)
Gols: Kuyt, aos 42min do primeiro tempo; Riise (contra), aos 49min do segundo tempo

By Fernando Arbex

Botafogo x Fluminense: mais de 20 mil ingressos vendidos!

abril 17, 2008

A final da Taça Rio no domingo promete. Botafogo e Fluminense disputam além do título, uma vaga a final do Campeonato Carioca contra o Flamengo.

Nesta quinta-feira, foi divulgada a venda de mais de 20 mil ingressos. O Maracanã vai lotar. Quem quiser ir a final, se apresse e chegue cedo aos postos de bilheteria.

Os ingressos seguem à venda das 11h às 17h nesta sexta-feira, nos seguintes locais: Laranjeiras, Gávea, General Severiano, Caio Martins, Bilheteria 8 do Maracanã, e Bilheteria Norte do Engenhão.

By Fernando Arbex

 

Resultados das semi-finais da Taça Rio!

abril 15, 2008

FLUMINENSE(1)
Fernando Henrique, Gabriel, Thiago Silva, Luiz Alberto e Junior Cesar; Ygor, Arouca, Darío Conca e Thiago Neves; Cícero e Washington.
Técnico: Renato Gaúcho

VASCO(1)
Tiago, Vilson, Eduardo Luiz e Jorge Luiz; Wagner Diniz, Jonílson, Leandro Bomfim (Souza), Morais e Pablo; Edmundo (Alex Teixeira) e Alan Kardec (Jean).
Técnico: Antônio Lopes

Data: 12/04/2008 (Sábado)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Marco Aurélio dos Santos Pessanha (RJ)
Renda: R$ 862.720,50
Público: 46.625 pagantes
Cartões amarelos: Washington, Darío Conca e Cícero (Fluminense). Alan Kardec, Eduardo Luiz e Vilson (Vasco).
Gols: Jean, aos 13 minutos; e Thiago Silva, aos 17 minutos do segundo tempo.
Pênaltis: Morais (1 a 0); Darío Conca (1 a 1); Tiago (2 a 1); Thiago Neves (2 a 2); Souza (3 a 2); Washington (3 a 3); Wagner Diniz (4 a 3); Cícero (4 a 4); Pablo (4 a 4); Gabriel (5 a 4).

 

BOTAFOGO(3)
Castillo, Alessandro (Túlio Souza), Renato Silva, André Luís e Triguinho; Túlio, Diguinho, Lúcio Flávio (Fábio) e Zé Carlos; Jorge Henrique e Wellington Paulista (Leandro Guerreiro).
Técnico: Cuca

FLAMENGO(0)
Bruno, Leonardo Moura, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Juan; Kléberson, Cristian (Obina), Ibson e Toró; Renato Augusto (Diego Tardelli) e Souza (Marcinho).
Técnico: Joel Santana

Data: 13/04/2008 (Domingo)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (RJ)
Auxiliares: Wagner de Almeida Santos (RJ) e Jackson Lourenço Massara dos Santos (RJ)
Cartões amarelos: Jorge Henrique, Lúcio Flávio e Triguinho (Botafogo). Toró, Ibson, Leonardo Moura e Renato Augusto (Flamengo).
Gols: Wellington Paulista, aos 39 minutos do primeiro tempo. Alessandro, aos 15 minutos; e Lúcio Flávio, aos 27 minutos do segundo tempo.

By Fernando Arbex 

Diogo Rincón deve estrear contra o Palmeiras!

fevereiro 26, 2008

123.jpg

O meia Diogo Rincón deve mesmo fazer sua estréia no clássico de domingo contra o Palmeiras. Mano Menezes terá trabalho para escalar o time, já que Dentinho, Acosta e Fabinho levaram o terceiro amarelo e estão fora do confronto.

– Se Diogo Rincón vai jogar ou não esse clássico, vai depender do que ele apresentar nos trabalhos a partir desta terça-feira. Liberado para treinar com Mano ele já está – afirma o preparador físico Flávio Trevisan.

O que pode pesar para o meia, é o ritmo de jogo, já que o atleta não joga uma partida desde dezembro.

– Provavelmente, teremos Diogo Rincón à disposição. Ele pode ser usado em parte da partida. Você tem de estar com a estrutura da equipe boa para aquele que entrar jogar bem – disse o técnico Mano Menezes.

By Fernando Arbex

Arsenal e Milan ficam no 0x0!

fevereiro 20, 2008

16.jpg

Mesmo jogando melhor e atuando dentro de casa, o Arsenal não conseguiu furar o bloqueio do Milan no jogo de ida válido pelas quartas-de-final da Champions League.

Com isso, a vaga para as quartas-de-final será decidida no próximo dia 4 de março, em Milão.

O Arsenal pressionou mais o jogo todo, mas ficou no 0x0 e agora terá que empatar em gols ou vencer fora de casa para se classificar. Já os italianos seguem em frente vencendo por qualquer resultado.

Essa foi a primeira partida da temporada 2007/2008 que o Arsenal não marcou gol.

ARSENAL
Lehman; Sagna, Touré (Senderos), Gallas e Clichy; Eboué (Walcott), Flamini, Fábregas e Hleb; Adebayor e Eduardo (Bendtner)
Técnico: Arsène Wenger

MILAN
Kalac; Oddo, Nesta (Jankulovski), Maldini e Kaladze; Pirlo, Gatusso, Kaká e Seedorf (Emerson); Ambrosini e Pato (Gilardino)
Técnico: Carlo Ancelotti

Estádio: Emirates Stadium, em Londres (ING)
Árbitro: Claus Bo Larsen (Dinamarca)
Cartão amarelo: Senderos e Eboué (Arsenal); Alexandre Pato (Milan)

By Fernando Arbex

Em grande jogo, São Paulo vence o Santos!

fevereiro 11, 2008

698537-5255-ga.jpg

Muitos esperavam uma goleada do São Paulo no clássico contra o Santos na tarde de ontem no Morumbi. Mas o que se viu, foi um clássico eqüilibrado e cheio de gols para a alegria dos pouco mais de 17 mil presentes no estádio.

Logo aos 2 minutos de jogo, Richarlyson faz bela jogada pela esquerda, com direito a “chapéu”, tabela no meio e cruza. Fábio Costa não segura a bola e Jorge Wagner, de primeira, bate por cima, perdendo boa chance.

O São Paulo pressionava o Santos, e aos 12, Hernanes levanta da direita e Adriano, de cabeça, manda no canto esquerdo de Fábio Costa. O goleiro santista salta e desvia para escanteio.

Mas como diz o ditado, quem na faz…

Aos 15, Carleto faz preciso lançamento para Kléber Pereira, que avança em velocidade e toca com categoria na saída de Rogério Ceni. 1×0 peixe!

O tricolor respondeu logo em seguida. Aos 19, Jorge Wagner bate falta da ponta direita e Fábio Santos aproveita vacilo de Fábio Costa para, de coxa, empatar o jogo.

O jogo ficou truncado no meio campo e com as equipes fazendo muitas faltas. Aos 40 minutos, Após cruzamento da esquerda, Domingos se antecipa aos são-paulinos, mas cabeceia contra a própria meta. A bola carimba o travessão de Fábio Costa.

No intervalo, Leão colocou Alemão e Marcinho em campo, nos lugares de Denis e Tiago Luís.

Mas o São Paulo voltou melhor. Logo aos 3 minutos, Juninho cobra falta com força da meia esquerda e supera Fábio Costa, que toca na bola, mas não o suficiente para impedir a virada.

O time da baixada veio pra cima em busca do empate. E ele veio oito minutos depois do gol de Juninho. Alemão levanta a bola da esquerda e Rodrigo Souto cabeceia no canto de Rogério Ceni para empatar novamente o jogo.

O jogo fica ainda mais equilibrado com boas chances de ambos os lados. Aos 39, Kléber Pereira tem a chance de “matar” o jogo. Ele é lançado em velocidade e sem marcação, dentro da área, chuta para fora, perdendo ótima chance.

Mas no minuto seguinte, novamente Kléber Pereira novamente, é lançado pela esquerda. Desta vez, ele demora a concluir e chuta sobre Rogério Ceni.

E como diz o ditado, quem não faz…

Aos 41,  Carlos Alberto avança pela esquerda, invade a área e conta com desvio no meio do caminho para superar Fábio Costa.

O triunfo levou o time de Muricy Ramalho de volta ao G-4, com 16 pontos. Já o Santos, com oito, segue ameaçado pela zona de rebaixamento, embora tenha mostrado evolução em relação às últimas partidas.

SÃO PAULO
Rogério Ceni; André Dias, Juninho e Miranda; Joilson (Reasco), Fábio Santos (Carlos Alberto), Hernanes, Jorge Wagner e Richarlyson; Aloísio (Borges) e Adriano
Técnico: Muricy Ramalho

SANTOS
Fábio Costa; Adaílton, Domingos e Betão; Denis (Marcinho), Adriano, Rodrigo Souto, Tabata e Carleto; Tiago Luís (Alemão) e Kléber Pereira
Técnico: Emerson Leão

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Antonio Rogério Batista do Prado (SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Nilson de Souza Monção (SP)
Público: 17.595 pagantes
Renda: R$ 301.835,00
Cartões amarelos: Carleto (SAN), Richarlyson (SP), Adriano (SP), Adaílton (SAN), Fábio Santos (SP), Fábio Costa (SAN) e Alemão (SAN)
Cartões vermelhos: Rodrigo Tabata (SAN) e Adriano (SP)
Gols: Kléber Pereira, aos 15min, e Fábio Santos, aos 19min do primeiro tempo; Juninho, aos 3min, Rodrigo Souto, aos 11min, e Carlos Alberto, aos 41min do segundo tempo

By Fernando Arbex

Em dia de Thiago Neves, Fluminense goleia o Flamengo!

fevereiro 11, 2008

flu.jpg

Foi um jogo com cara de amistoso. Flamengo e Fluminense entraram com seus reservas, já que estavam classificados para a semi-final da Taça Guanabara antecipadamente.

Mesmo assim, quase 40 mil pessoas compareceram ao fla-flu no Maracanã. E quem foi, viu um grande jogo.

Aos 14 minutos, Obina “mata” o zagueiro com o domínio de bola e obriga Fernando Henrique a fazer grande defesa. O Fluminense respondeu dois minutos depois. O meia Thiago Neves cruzou e Diego afastou o perigo de soco.

Aos 27, o mengo quase abre o placar. Diego Tardelli chuta a primeira em cima da zaga, na segunda, manda uma “bomba” e Fernando Henrique tirou com a ponta do dedos. Dez minutos depois, Tardelli leva a melhor em cima de Arouca, se livra de Fabinho e Fernando Henrique impede o gol com o pé esquerdo.

Mas o primeiro tempo ficou no 0x0 apesar da disposição de ambas as equipes. No intervalo, começou a cair uma forte chuva que obrigou um atraso de 10 minutos para iniciar a segunda etapa devido a uma queda de energia.

Mas quando a bola rolou, as equipes voltaram ainda mais dispostas que a primeira etapa. Logo aos 4 minutos, Marcinho cruza, a zaga não consegue afastar, Diego Tardelli faz falta não marcada em Roger e Kléberson acerta o ângulo de Fernando Henrique. 1×0 Flamengo.

Três minutos depois, o Fluminense respondeu. Thiago Neves bate falta, Diego pula atraso e aceita. Aos 27 minutos, novamente Thiago Neves cobra falta e vira para o tricolor.

O flu cresce no jogo e vai pra cima. Aos 34, Thiago Neves tabela, dá uma “caneta” em Egídio e toca na saída de Diego. Um golaço!

Maurício ainda teria tempo de fazer o quarto e, aos 41, fechar a conta.

FLAMENGO
Diego; Luizinho, Thiago Sales, Rodrigo Arroz e Egídio; Cristian, Colace (Marcinho), Leo Medeiros e Kleberson; Diego Tardelli (Max Biancucchi) e Obina.
Técnico: Joel Santana

FLUMINENSE
Fernando Henrique; Rafael, Anderson, Roger e Gustavo Nery; Fabinho, Arouca (David), Romeu e Conca (Maurício); Thiago Neves (Tartá) e Cícero.
Técnico: Renato Gaúcho

Data: 10/02/2008 (domingo)
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: João Batista de Arruda
Auxiliares: Jackson Lourenço Massara dos Santos e Marcelo Fonseca Duarte
Público: 39.056 pagantes
Renda: R$ 630.691,00
Cartões amarelos: Colace, Diego Tardelli, Thiago Sales, Léo Medeiros e Cristian (Flamengo); Arouca, Gustavo Nery e Romeu (Fluminense)
Gols: Kleberson, aos 4 minutos do segundo tempo, Thiago Neves, aos 7, aos 27 e ao 34, Mauricio, aos 41 do segundo tempo

By Fernando Arbex