Archive for the ‘Tá de Parabéns’ Category

Nenê é destaque na vitória do Denver

janeiro 21, 2009

nene

Com um duplo-duplo do ala-pivô brasileiro Nenê, o Denver Nuggets recebeu o Sacramento Kings, nesta terça-feira, e venceu o adversário por 118 a 99. Com a vitória, na qual Nenê anotou 13 pontos e pegou 12 rebotes, o Nuggets quebrou a série de duas derrotas e, com 28 vitórias e 15 derrotas, ocupa a quarta colocação da Conferência do Oeste.

O destaque ofensivo do Nuggets em quadra foi o ala lituano Linas Kleiza, cestinha do jogo, com 27 pontos, cinco a mais que o armador Chauncey Billups, com 22.

Já o Kings, antepenúltimo colocado no Oeste, com apenas dez vitórias em 42 jogos, teve como principal jogador o ala Kevin Martin, autor de 25 pontos.

Veja todos os resultados da rodada:

Indiana Pacers 81 x 99 San Antonio Spurs
Atlanta Hawks 105 x 102 Chicago Bulls
Sacramento Kings 99 x 118 Denver Nuggets
Minnesota Timberwolves 107 x 112 Utah Jazz

Fonte: Agência EFE

By Vitrola

Queria deixar meus parabéns!

dezembro 1, 2008

Queria parabenizar as equipes de Corinthians, Avaí, Santo André e Barueri por terem consiguido o acesso a Série A do Campeonato Brasileiro.

O Corinthians, que fez a melhor campanha de toda a história da competição, disparou desde as primeiras rodadas e não teve muita dificuldade em conseguir o acesso. Graças ao planejamento que foi feito e a equipe que foi montada pela comissão técnica e diretoria do clube paulista. Mas na minha opinião, o timão não fez mais que sua obrigação.

Já o Avaí, que a muito tempo sonhava com a elite do futebol brasileiro, conseguiu subir depois de quase 30 anos distante da Série A. E por mérito, já que fez excelente campanha e acabou com o vice-campeonato. O mérito maior na minha opinião vai para o treinador Silas que fez um ótimo trabalho frente a equipe catarinense e ja demonstra ser um treinador com futuro promissor.

O Santo André, que acabou na terceira posição, merece muito o meu parabéns. Foi um dos clubes que mais se planejou. E não foi de última hora. A equipe foi montada ja no Campeonato Paulista 2008. E além disso, a diretoria do clube paulista apostou em jogadores que muita equipe descartou, como Marcelinho Carioca e Márcio Mixirica. Marcelinho para mim, foi o principal responsável desse acesso, junto com o treinador Sérgio Soares.

E o meu último parabéns vai para o Barueri. O clube, fundado em 1989, já está na primeira divisão do futebol paulista e agora engrena a primeira do futebol nacional. Méritos maior para o presidente do clube Valter, e a diretoria que tem Jamelli como diretor. O clube tem boas finanças e um estádio de primeiro mundo. Mas agora precisa se reforçar para se manter na elite.

By Fernando Arbex

Documentário de surf feito na etapa do WQS na Praia Brava

novembro 22, 2008


Esse trabalho foi feito pelos acadêmicos do 7º período de jornalismo da Univali para disciplina de telejornalismo.

Os nomes dos responsáveis estão no documentário, é só conferir.

By Vitrola

Corinthians de volta a Série A!

outubro 27, 2008

    

Quase 11 meses depois de cair para a Série B diante do Grêmio, o Corinthians garantiu seu retorno à elite na tarde deste sábado. Com a vitória por 2 a 0 sobre o Ceará, no Pacaembu, o time paulista está de volta à Série A.

Como o Barueri foi superado pelo Paraná dentro de casa, o líder Corinthians chega aos 70 pontos ganhos e garante o acesso, já que não corre mais risco de sair do grupo dos primeiros quatro colocados da segunda divisão.

Os dois times voltam a campo às 16h20 do próximo sábado. Em casa, o Corinthians enfrenta o Paraná. Já o Ceará visita o São Caetano. Com 44 pontos ganhos, a equipe nordestina está na 10ª colocação da competição nacional.

O jogo no Pacaembu teve um sabor ainda mais especial para os milhares de fiéis que lotaram as arquibancadas. No Rio de Janeiro, o Palmeiras foi derrotado por 3 a 0 pelo Fluminense, pela Série A. Os corintianos vibravam a cada gol do time carioca anunciado no estádio.

Garantido na elite, o Corinthians briga pelo título da Série B do Campeonato Brasileiro. O último jogo da equipe paulista dentro de casa pelo torneio é contra o Avaí, no dia 22 de novembro. Neste duelo, o clube promete realizar uma grande festa para comemorar o resultado.

fonte:terra

By Fernando Arbex

Botecodabola completa um ano de vida

setembro 1, 2008

Nessa semana que passou o blog, http://www.botecodabola.wordpress.com, completou um ano de vida. Foram mais de 1.500 artigos publicados. Cerca de 220 mil visitas. Tudo isso, fez e faz, com que ficamos muito orgulhos de ter o nosso blog.

Agradecemos a todos os frequentadores de plantão que diariamente aumenta nossa audiência. Esperamos que nesse segundo ano, nossos records sejam quebrados e acima de tudo, que nossas informações aqui repassadas, deixem vocês amigos do botecodabola cada dia mais atualizado do que acontece no mundo esportivo.

Mais uma vez, um muito OBRIGADO.

By Vitrola

Maurren é medalha de ouro

agosto 22, 2008

Foto: Globo

Essa Maurren. Eita! essa vale ouro. Após ter passado por todo aquele drama do dopping, superou todas as expectativas e conseguiu a segunda medalha dourada para o Brasil. Maurren saltou mais que todas as outras competidoras. Aos 32 anos, a paulista de São Carlos garantiu o salto campeão logo na primeira tentativa com 7,04m, superando a ex-campeã olímpica Tatyana Lebedeva.

Pela segunda vez, ouvimos o hino mais lindo do mundo tocar em Pequim. E, claro, não poderiam faltar as lágrimas. Lágrimas de ouro. Maurren emocionou a todos com seu choro, mais dessa vez, um choro de campeã. É a primeira mulher brasileira a conseguir uma medalha indiviual no atletismo. Obrigado Maurren!!!

By Vitrola

Usain Bolt pulveriza os 200 metros

agosto 20, 2008

Se ainda havia alguma dúvida de sua superioridade em provas de velocidade no atletismo, o jamaicano Usain Bolt tratou de respondê-las nesta quarta-feira. Campeão e recordista mundial dos 100 metros nas Olimpíadas de Pequim, Bolt confirmou seu favoritismo e repetiu o feito na final dos 200 metros, cruzando a linha de chegada na capital chinesa em 19s30.

O feito do jamaicano é inédito em toda a história olímpica. Antes dele, nomes como Jesse Owens (1936), Bobby Joe Morrow (1956), Valeriy Borzov (1972) e Carl Lewis (1984) já haviam vencidos as finais dos 100 e dos 200 metros na mesma edição dos Jogos. No entanto, nenhum de seus antecessores havia quebrado os dois recordes mundiais nas finais que lhes valeram as medalhas de ouro, como fez Bolt.

Hegemônico desde a largada, o homem mais rápido do mundo já completou a curva da pista de atletismo do Estádio Olímpico de Pequim na frente. No entanto, conseguiu ampliar ainda mais sua vantagem e cruzou a linha bem à frente de Churandy Martina, das Antilhas Holandesas – segundo colocado com mais de meio segundo de distância.

Ao completar a prova, Usain Bolt diminuiu o ritmo e se jogou no chão, comemorando a conquista. Em seguida, enrolou-se em uma bandeira e foi saudado pela torcida mais próxima à pista. Com seu tempo, o velocista derrubou o recorde mundial que havia sido conquistado pelo norte-americano Michael Johnson em 1996, que era de 19s32.

A medalha de bronze da prova ficou com o norte-americano Shawn Crawford, campeão dos 200 metros nas Olimpíadas de Atenas em 2004, e que terminou esta final com o tempo de 19s96. Walter Dix, dos EUA, foi o quarto colocado, enquanto seu compatriota Wallace Spearmon, bronze dos 200 metros no Mundial de 2007, foi desclassificado.

Confira o resultado da final masculina dos 200 metros:

1. Usain Bolt (JAM): 19s30
2. Churandy Martina (AHO): 19s82
3. Shawn Crawford (EUA): 19s96
4. Walter Dix (EUA): 19s98
5. Brian Dzingai (ZIM): 20s22
6. Christian Malcolm (GBR): 20s40
7. Kim Collins (SKN): 20s59
DSQ. Wallace Spearmon (EUA): desclassificado

Fonte: Espn

By Vitrola

Palmeiras goleia Santos e entra no G4

julho 25, 2008

O lateral-esquerdo Leandro chegou ao Palmeiras em janeiro de 2007. Passou por altos e baixos no ano passado, mas se firmou em 2008. Das 39 partidas que o Verdão jogou, o camisa 6 só não participou de duas, por um problema em seu contrato. Mas dos 88 duelos que já fez pelo Alviverde, Leandro certamente não esquecerá o desta quinta-feira, contra o Santos. Afinal, o lateral-esquerdo foi decisivo para a vitória por 4 a 2, no Palestra Itália.

– Não sou muito de fazer gol. Fiz dois no primeiro tempo e acho que a cota do ano já acabou. Acho que vai até chover hoje – afirmou o camisa, 6 depois de marcar dois gols – ele tem três pelo clube – e dar uma assistência (a 11ª do ano), ainda no primeiro tempo.

Quando joga no Palestra Itália, o Verdão realmente é diferente. São 14 partidas em seu estádio neste ano, com 12 vitórias e apenas dois empates. Nesta quinta, mais um triunfo, que fez com que o time da casa chegasse aos 24 pontos, de volta ao G4. Já ao Peixe, com 11, fica cada vez mais preso na zona do rebaixamento. A distância para a Portuguesa, primeira equipe fora do setor da degola, é de cinco.

O Palmeiras foi ataque desde o começo da partida. Logo aos 3 minutos, Leandro começou a mostrar que estava inspirado. Bateu falta cruzada, que resultou em gol. Anulado pelo assistente Ednilson Corona, que marcou impedimento de Alex Mineiro. Lance duvidoso, pela posição do camisa 9 e por ele não ter tocado na bola.

Aos 12, começou a blitz palmeirense. Alex Mineiro recebeu lançamento na área e apenas rolou para Leandro, como se fosse um autêntico centroavante, abrir o placar. Dois minutos depois, foi a vez do artilheiro do Brasileirão, agora com nove gols, fazer o seu: ele recebeu belo passe de Diego Souza e só tocou para o gol.

O terceiro tento palmeirense nasceu outra vez dos pés de Leandro. O camisa 6 bateu falta cruzada e o goleiro Felipe, adiantado, acabou aceitando. Gol parecido com o que o xará corintiano do santista sofreu contra o Bahia.

Perdendo por 3 a 0, o Santos foi ao ataque. Aos 33, Fabão recebeu na área palmeirense e cruzou para Kléber Pereira diminuir. Os torcedores palmeirenses que compareceram em bom número ao Palestra Itália, prenderam a respiração cinco minutos depois do tento do artilehrio santista, quando Apodi recebeu no meio da defesa do Verdão e fez o segundo para o Santos.

Mas a reação do Peixe acabou aos 44. Em outra falta batida por Leandro, que o zagueiro Gladstone, conseguiu desviar para marcar seu primeiro pelo Alviverde.

A emoção ficou mesmo para a etapa inicial. No segundo tempo, os técnico tentaram, mas o jogo perdeu muito em qualidade. Aos 19, o técnico Cuca resolveu abandonar o esquema com três zagueiros. Dois minutos depois, foi a vez de Vanderlei Luxemburgo fazer o mesmo. Foi a primeira vez neste Brasileirão que o Palmeiras entrou em campo no 3-5-2, muito por conta das seguidas falhas da dupla Jeci e Gladstone.

A partir dos 38 minutos do segundo tempo, a torcida palmeirense começou a provocar o Santos: “ão, ão, ão, Segunda Divisão”. O triunfo acabou com o jejum de vitórias do Alviverde, que não vencia o rival desde 2005, quando ganhou por 2 a 1, também pelo Brasileiro.

O Palmeiras volta a campo no próximo domingo à tarde contra o Grêmio, no Sul. Já o Peixe receberá o Vasco, na Vila Belmiro, no mesmo dia.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS 4 X 2 SANTOS

Estádio: Palestra Itália, São Paulo (SP)
Data/hora: 24/7/2008 – 20h30 (de Brasília)
Árbitro: José Henrique de Carvalho (Fifa-SP)
Auxiliares: Ednilson Corona (Fifa-SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)

Renda e público: R$ 571.567,50 / 21.339 pagantes
Cartões amarelos: Maurício, Leandro, Diego Souza e Valdivia (PAL); Fabão, Kléber, Marcelo, Fabiano, Maykon Leite e Kléber Pereira (SAN)
Cartão vermelho: Cuca, 47’/2ºT (SAN)
GOLS: Leandro, 13’/1ºT (1-0); Alex Mineiro, 15’/1ºT (2-0); Leandro, 28’/1ºT (3-0); Kléber Pereira, 33’/1ºT (3-1); Apodi, 38’/1ºT (3-2); Gladstone, 44’/1ºT (4-2)

PALMEIRAS: Marcos, Maurício (21’/2ºT – Maicosuel), Jeci e Gladstone; Fabinho Capixaba, Jumar, Wendel, Diego Souza (Lenny, 43’/2ºT) e Leandro; Valdivia e Alex Mineiro. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

SANTOS: Felipe, Marcelo, Fabão e Fabiano Eller (19’/2ºT – Tiago Luís); Apodi, Adriano (28’/2ºT – Fabiano), Dionísio, Molina (Intervalo – Maykon Leite) e Kléber; Cuevas e Kléber Pereira. Técnico: Cuca.

By Vitrola

Hamilton vence na Alemanha. Nelsinho Piquet é segundo!

julho 20, 2008

Até a volta 37, o GP da Alemanha estava até sonolento, com pouquíssimas disputa por posição. Foi aí que uma suspensão traseira do carro de Timo Glock mudou os rumos da prova: uma quebra e uma forte batida provocou a entrada do safety car na pista e colocou fogo na prova, que até então era tranquilamente liderada por Lewis Hamilton.

Melhor: o problema foi providencial para o brasileiro Nelsinho Piquet, que havia largado em 17º lugar. Único piloto a apostar em apenas uma parada nos boxes neste domingo, ele tinha acabado de sair do pit stop no momento do acidente. Com isso, ganhou diversas posições e chegou a liderar boa parte da segunda metade da corrida. No final, não suportou o bom rendimento da McLaren de Hamilton, mas mesmo assim encerrou a disputa com uma sensacional segunda colocação em sua décima corrida na categoria.

Coincidentemente, a maior conquista da carreira do filho do tricampeão mundial Nelson Piquet veio cinco dias antes do aniversário do piloto da Renault e em um circuito localizado a cerca de 20km do seu local de nascimento, a cidade alemã de Heidelberg – de acordo com Nelsinho, não há nenhuma relação com a Alemanha: o parto ocorreu lá apenas porque a maternidade local era melhor. Fato é que ele conquista o primeiro pódio na carreira justamente na pista onde seu pai estreou na categoria, em 1978.

Felipe Massa, por sua vez, foi o terceiro colocado. Trata-se da primeira vez desde o GP da Bélgica de 1991 que dois brasileiros sobem ao pódio de uma prova, com Piquet em terceiro em uma prova vencida por Ayrton Senna. Na ocasião, o Piquet pai curiosamente pilotava uma Benneton, equipe que se tornaria a Renault – foi também a última vez que o tricampeão mundial chegou a liderar uma corrida.

Confira a classificação final da prova:

1º- Lewis Hamilton (ING/McLaren)
2º- Nelsinho Piquet (BRA/Renault) – a 5s586
3º- Felipe Massa (BRA/Ferrari) – 9s339

4º- Nick Heidfeld (ALE/BMW Sauber) – a 9s825
5º- Heikki Kovalainen (FIN/McLaren) – a 12s411
6º- Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) – a 14s403
7º- Robert Kubica (POL/BMW Sauber) – a 22s682
8º- Sebastian Vettel (ALE/Toro Rosso) – a 33s299
9º- Jarno Trulli (ITA/Toyota) – a 37s158
10º- Nico Rosberg (ALE/Williams) – a 37s625
11º- Fernando Alonso (ESP/Renault) – a 38s600
12º- Sébastien Bourdais (FRA/Toro Rosso) – a 39s111
13º- David Coulthard (ESC/Red Bull) – a 54s971
14º- Giancarlo Fisichella (ITA/Force India) – a 59s093
15º- Kazuki Nakajima (JAP/Williams) – a 1min00s003
16º- Adrian Sutil (ALE/Force India) – a 1min09s488
17º- Jenson Button (ING/Honda) – a uma volta

Abandonaram:

Rubens Barrichello (BRA/Honda) – volta 52
Mark Webber (AUS/Red Bull) – volta 41
Timo Glock (ALE/Toyota) – volta 37

fonte:gazetaesportiva.net

By Fernando Arbex

Acabou a novela. Ronaldinho é do Milan!

julho 16, 2008

Depois de 4 meses de especulações, enfim o destino de Ronaldinho foi resolvido. E como todos esperavam, ele assinou com o Milan ontem. O clube italiano irá desembolsar pelo meia a quantia de 21 milhões de euros mais alguns bônus.

Ronaldinho assinará contrato até 2011. Ele chega a Milão hoje e ja realiza exames médicos no novo clube.

– Finalmente fui contratado pelo Milan. Demorou para chegar, mas enfim foi fechada a negociação. Os fatos demonstraram o que sempre quis: ir para o Milan – diz o craque.

Ele se junta a Kaká e Dida. A felicidade vista em seu rosto no aeroporto a tempos não se via. Eu como fã de Ronaldinho estou muito feliz.

By Fernando Arbex

Após 44 anos, Espanha é bi-campeã da Eurocopa!

julho 1, 2008

Foi um jogo tenso. Espanha e Alemanha se enfrentaram domingo na final da Eurocopa e fizeram um belo jogo. Não teve tantas emoções, porque ambas as equipes se respeitaram muito. Mas o domínio espanhol foi visível e o título foi absolutamente merecido. Há 44 anos que os espanhóis não levantavam o caneco europeu.

Invicta há 21 jogos, a Espanha tentava acabar com a fama de montar boas seleções, mas não conseguir títulos importantes. A única conquista européia havia sido em 1964, quando foi sede da competição.

Já a Alemanha tinha a tradição ao seu lado. Afinal, esta era a sexta final da Eurocopa que disputava. A tricampeã mundial também já havia sido três vezes a melhor da Europa, com os títulos de 1972, 1980 e 1996.

O gol do título saiu aos 33,  quando Fernando Torres foi lançado por Xavi, ganhou de Lahm na corrida e na raça e tocou por cima na saída de Lehmann para abrir o placar.

Alemanha
Lehmann, Friedrich, Metersacker, Metzelder e Lahm (Jansen); Frings, Hitzlsperger (Kuranyi), Ballack e Schweinsteiger; Klose (Gomez) e Podolski
Técnico: Joachim Löw

Espanha
Casillas, Sergio Ramos, Puyol, Marchena e Capdevilla; Marcos Senna, Xavi, Iniesta, David Silva (Cazorla) e Fabregas (Xabi); Fernando Torres (Güiza)
Técnico: Luis Aragonés

Local: Estádio Ernst Happel, em Viena, na Áustria
Data: 29/06/2008 (domingo)
Árbitro: Roberto Rosetti (Itália)
Cartões amarelos: Casillas e Fernando Torres (E); Ballack e Kuranyi (A)
Gol: Fernando Torres (E), aos 33 minutos do primeiro tempo

By Fernando Arbex

Espanha goleia Rússia e vai a final da Eurocopa!

junho 26, 2008

Foi um jogão de bola. O equilibrio esperado por todos aconteceu nesta tarde em Viena, na Áustria. Espanha e Rússia fizeram um jogo digno de uma semi-final de Eurocopa.

Nas poucas oportunidades, a Espanha parou num dia inspirado de goleiro Akinfeev, que evitou o tento do rival em chutes de Fernando Torres e Villa, logo no começo da semifinal. Esse último, aliás, sentiu uma contusão e foi substituído por Fàbregas, ainda na etapa inicial.

A Rússia, por outro lado, tinha dificuldades para chegar ao gol do adversário. O meia-atacante Andrei Arshavin foi praticamente anulado. Coube ao atacante Pavlyuchenko causar algum perigo. Aos 35min, por exemplo, bateu colocado e assustou o goleiro Casillas, até então um mero espectador. Cinco minutos mais tarde, matou a bola no peito dentro da área, mas finalizou errado.

Mas isso mudou no segundo tempo. A Espanha voltou melhor. E logo abriu o marcador. Aos 4min, Iniesta fez bela jogada pela esquerda e bateu forte para a área. Xavi, atento, completou. 1 a 0.

Os russos sentiram o golpe. A partir daí, os espanhóis passaram a dominar a semifinal e desperdiçaram uma série de oportunidades, como um chute de longa distância de Fàgregas, aos 24min, e que Akinfeev mandou para escanteio.

O segundo gol era questão de tempo. E saiu aos 27min. Após um bela troca de passes no setor ofensivo, Güiza, que havia entrado no lugar de Fernando Torres, recebe livre e tocou por cima do goleiro russo.

Dez minutos mais tarde, a Espanha selava sua classificação à decisão da Euro-08. Em rápido contra-ataque, Fábregas rolou para David Silva, que teve a tranqüilidade necessária para definir o marcador. 3 a 0.

Rússia
Akinfeev; Anyukov, Berezutski, Ignashevich, e Zhirkov; Semak, Zyryanov, Semshov (Bilyaletdinov) e Saenko (Sychev); Arshavin e Pavlyuchenko.
Técnico: Guus Hiddink

Espanha
Casillas; Sergio Ramos, Puyol, Marchena e Capdevila, Marcos Senna, Iniesta, Xavi (Xabi Alonso) e David Silva; David Villa (Fàbregas) e Fernando Torres (Güiza).
Técnico: Luis Aragonés

Estádio: Ernst Happel, em Viena (AUT)
Árbitro: Frank De Bleeckere (BEL)
Assistentes: Peter Hermans (BEL) e Alex Verstraeten (BEL)
Cartões amarelos: Zhirkov e Bilyaletdinov (Rússia)
Gols Xavi, aos 4min, e Güiza, aos 27min, e David Silva, aos 37min do segundo tempo.

Fonte:uol

By Fernando Arbex

Boston arrasam Lakers e conquistam a NBA!

junho 18, 2008

O Boston Celtics não esperou chegar a sétima partida da decisão da NBA para conquistar um título após 22 anos na fila. Em uma grande exibição, a equipe arrasou o Los Angeles Lakers, por 131 a 92, e fechou a série em 4 a 2.

O grande destaque da partida foi Kevin Garnett, que comemorou muito seu primeiro título na NBA. O ala conseguiu um double-double na partida, marcando 26 pontos e 14 rebotes.

Outro nome decisivo no jogo foi Ray Allen, que foi cestinha do duelo ao lado de Garnett, com 26 pontos. Allen conseguiu a bela marca de sete arremessos certos de 3 pontos em nove tentativas.

O título da temporada 2007/2008 da NBA, foi 17º em sua história.

Fonte: terra

By Fernando Arbex

Sport vence Corinthians e conquista a Copa do Brasil!

junho 12, 2008

Foi uma noite inesquecível para a torcida do Sport. O time pernambucano precisava ganhar por dois gols de diferença do Corinthians para ganhar a Copa do Brasil e fez.

O jogo começou muito truncado no meio de campo. O Sport pouco criava e ainda dava espaços para o contra-ataque alvinegro. Aos 8, o Corinthians chega pelo lado direito e Alessandro levanta na área do Sport. Herrera chega de peixinho, mas a bola passa pelo jogador.

Aos 17, Dutra cruza fechado na área do Corinthians, goleiro Felipe protege e dá um tapa na bola, que passa por cima do seu gol. Escanteio para o Sport.

Aos 35, o primeiro bom ataque dos pernambucanos. Carlinhos Bala recebe assistência na área, domina a bola no peito e bate cruzado, de perna direita. 1×0 Sport!

Aos 38, Luciano pega sobra de cobrança de escanteio e, de fora da área, chuta forte de esquerda. Visão de Felipe é atrapalhada por Enílton e bola entra no gol. 2×0!

Mano voltou do descanso com Acosta e Lulinha, sacando Diogo Rincón e Carlos Alberto, respectivamente.

Logo aos 3 do segundo tempo, depois de longa posse no campo ofensivo, Diogo recebe pela direita e bate cruzado. Goleiro Felipe desvia e evita que bola chegue aos pés de Enílton. Aos 7, o Corinthians respondeu. Cobrança de escanteio na área, Acosta desvia de cabeça e goleiro do Sport espalma. Lance não valia, Herrera estava em impedimento e participando da jogada.

Aos 12, o Sport parte em velocidade no contra-ataque e Enílton erra passe para companheiro. Era uma boa chance para o time da casa chegar com perigo. Aos 25, Luciano Henrique faz jogada individual, coloca na frente do marcador e cruza à meia-altura na área. Felipe desvia com um tapinha e Roger não alcança.

Aos 28, Lulinha sai de frente para o goleiro Magrão, tenta toque rasteiro e goleiro do Sport salva sua equipe. Aos 43min, Acosta teve a chance de marcar o gol do título, mas tentou driblar Magrão, se atrapalhou e perdeu o lance.

Depois de despachar Vasco, Internacional e Palmeiras nas finais, o clube pernambucano deu seqüência à fila para conquistar o segundo título mais importante de sua história (foi campeão brasileiro em 1987) e garantir uma vaga na próxima Libertadores.

SPORT
Magrão; Diogo, Igor, Durval e Dutra; Daniel Paulista, Sandro Goiano, Luciano Henrique (Everton) e Kássio (Enílton); Carlinhos Bala e Leandro Machado (Roger)
Técnico: Nelsinho Batista

CORINTHIANS
Felipe; Carlos Alberto (Lulinha), Chicão, William e André Santos; Fabinho, Eduardo Ramos, Alessandro e Diogo Rincón (Acosta); Dentinho (W. Saci) e Herrera
Técnico: Mano Menezes

Data: 11/6/2008 (quarta-feira)
Local: estádio da Ilha do Retiro, em Recife (PE)
Árbitro: Alicio Pena Júnior (Fifa-MG)
Auxiliares: Alessandro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Milton Otaviano dos Santos (Fifa-RN)
Cartões amarelos: Durval (S); Herrera (C)
Cartões vermelhos: W. Saci, William (C)
Gols: Carlinhos Bala, aos 35min, Luciano Henrique, aos 38min do primeiro tempo

By Fernando Arbex

Flu dá um Cala-te Boca

junho 5, 2008

Tinha que ser sofrido, mas nesta quarta-feira, com mais de 75 mil tricolores no Maracanã, os jogadores do Fluminense escreveram um dos mais belos capítulos na história do clube. Com uma vitória de virada por 3 a 1, o time do técnico Renato Gaúcho passou pelo favoritíssimo Boca Juniors e decide, pela primeira vez, a Copa Libertadores.

Vale lembrar que o adversário do Fluminense na final da competição mais importante entre clubes da América é a LDU, do Equador, primeiro adversário do Tricolor na competição.

PRIMEIRO TEMPO: FLU SE SEGURA NA DEFESA

Ao contrário do que se esperava, Renato Gaúcho escalou Cícero mais adiantado, dando mais opções para o ataque do Fluminense e pressionando a saída de bola do adversário. Mais atrás, Ygor e Arouca protegiam com segurança a entrada da área e davam tranqüilidade para a defesa. Por falar em tranqüilidade, o time do Boca se segurava atrás e não demonstrava nervosismo por ter de jogar contra o tempo.

Com lances de perigo para ambos os lados, a partida estava equilibrada, mas a partir dos 17 minutos o Tricolor, que jogava bem até então, recuou e, com isso, fez o adversário crescer em campo. Irritado, Renato Gaúcho pedia para o time sair da retranca. Nas arquibancadas, os quase 80 mil tricolores faziam a sua parte e, com vaias, ajudavam o time a parar o ímpeto adversário.

Na base do contra-ataque o Fluminense, muito nevorso, tentava impor seu futebol, mas, mais uma vez, contava com a ótima atuação de Fernando Henrique para segurar o 0 a 0. Fim do primeiro tempo e promessa de mais 45 minutos emocionantes.

SEGUNDO TEMPO: VIRADA SENSACIONAL

Muito mais ligado, o time do Fluminense voltou querendo jogo, mas esbarrava em um adversário experiente e bem armado em campo. No ataque, o Tricolor das Laranjeiras pecou em dar espaços na defesa e acabou sendo castigado por isso. Aos 12 minutos, após cruzamento despretensioso da esquerda, Palermo, na pequena área, só escorou para tirar o zero do placar.

Diante de um “silêncio ensurdesedor” no Maracanã, o time do técnico Renato Gaúcho não ia desistir tão facilmente. Bola rolando e muita disposição. Símbolo da valentia tricolor, a estrela de Washington voltou a brilhar em mais um jogo decisivo. Em cobrança de falta perfeita, no ângulo esquerdo de Migliore, o camisa 9 deixou tudo igual aos 17 minutos.

Muita festa nas arquibancadas, mas o melhor ainda estava por vir e tinha que sair dos pés de um compatriota. Em contra-ataque fulminante, aos 26 minutos, o argentino Conca recebeu livre pela esquerda e chutou da entrada da área. A bola ainda desviou na zaga adversária antes de estufar a rede.

O gol de Dodô, já nos acréscimos, só veio para aumentar ainda mais a festa de todos os Tricolores. Com mais uma vitória no Maracanã, o Fluminense faz história e está na final da Libertadores. O time do técnico Renato Gaúcho encara agora a LDU, do Equador.

FICHA TÉCNICA:

FLUMINENSE 3 X 1 BOCA JUNIORS

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 04/6/2008 – 21h50min (de Brasília)
Árbitro: Carlos Torres (PAR)
Auxiliares: Manuel Bernal (PAR) e Emigdio Ruiz (PAR)

Renda/público: R$ 1.729.117,50 / 78.856 pagantes

Cartões amarelos: Washington, Arouca, Thiago Neves, Gabriel, Fernando Henrique (FLU); Riquelme, Palermo (BOC)
Cartões vermelhos: Não houve

GOLS: Palermo, 12’/2ºT (0-1); Washington, 17’/2ºT (1-1); Conca, 26’/2ºT (2-1), Dodô, 47’/2ºT (3-1)

FLUMINENSE: Fernando Henrique, Gabriel, Thiago Silva, Luiz Alberto e Junior Cesar; Ygor (Dodô, 15’/2ºT), Arouca, Cícero, Conca e Thiago Neves (Maurício, 33’/2ºT); Washington (Roger, 47’/2ºT). Técnico: Renato Gaúcho.

BOCA JUNIORS: Pablo Migliore, Hugo Ibarra, Julio Cáceres, Gabriel Paletta e Morel Rodríguez (Boselli, 33’/2ºT); Vargas (Ledesma, intervalo), Battaglia, Dátolo (Chavez, 39’/2ºT) e Riquelme; Palacio e Martín Palermo. Técnico: Carlos Ischia.

By Vitrola