Archive for the ‘Libertadores’ Category

São Paulo consegue empate no final

fevereiro 19, 2009

borges

Foto: site do terra

O São Paulo começou sua participação ontem na Copa Libertadores enfrentando o Independiente de Medellín. Como vem sendo de costume a equipe do Morumbi não foi eficiente em suas conclusões, mas contou com um fator que os acompanha já há algum tempo, a sorte. O goleiro do time colombiano, Aldo Bobadilla, foi o destaque da partida fazendo algumas boas defesas, a principal dela aos 23 minutos do segundo tempo quando jogo estava ainda 0 a 0, numa bola chutada por Dagoberto dentro da área e o arqueiro foi buscar. Naquele lance percebi que o Independiente não perderia mais, e foi o que aconteceu, os colombianos não perderam, mas também não ganharam.

Aos 35 da etapa final quando Luis Carlos Arias abriu o placar, parecia que o São Paulo se abateria e não iria conseguir o empate. Mas, o sempre “salvador da pátria”, Borges, acertou uma meia bicicleta e conseguiu empatar o jogo em cima da hora, nos acréscimos da partida. O jogo terminou empatado graças à sorte que ronda o Morumbi já há algum tempo.

Mas, levando em consideração que o tricolor raramente vence em suas estreias, esse placar foi uma coisa normal. Nos outros 13 primeiros jogos de estreia nas edições anteriores da Libertadores, o São Paulo havia vencido apenas 3, empatado 7 e perdido outras 3. Com isso podem acrescentar mais esse empate para conta dos péssimos resultados.

By Vitrola

Anúncios

Libertadores da América começa hoje para os brasileiros

fevereiro 17, 2009

copa-santander-libertadores

Palmeiras estreia hoje na fase de grupos da Libertadores

O verdão enfrenta hoje em Quito (Equador), a atual campeã da competição, LDU. A partida lá na altitude pode “roubar” do Palmeiras os primeiros pontos do ano, já que, até aqui, a equipe está com 100% de aproveitamento em todos os jogos disputados. Alguns por sorte é verdade, outros, na maioria, por competência. Principalmente a goleada na pré-estréia da Libertadores contra o Real Potosí da Bolívia por 5 a 1.

Sinceramente, acho que hoje o Palmeiras sai de lá com um emapte. Não vejo a LDU tão perigosa quanto a do ano passado, mas, tratando-se do fator altitude o jogo pode complicar. A equipe Alvi-verde com certeza tem um elenco melhor, mas a inexperiência dos jogadores nessa competição pode atrapalhar.

Meu palpite é 1 a 1.

Boca Júniors

Outro time que abre sua participação no torneio hoje, é o sempre favorito Boca Júniors. Nossos “hermanos” jogam em casa contra o Dep. Cuenca do Equador. Certamente o Boca não terá muitas dificuldades, pois joga na temida Bomboneira. Quem fica no banco de suplentes da equipe é o artilheiro, Martín Palermo, que está voltando recentemente de contusão. No seu lugar deve jogar Lucas Viatri.

By Vitrola

LDU vence Fluminense nos pênaltis e é campeã da Libertadores!

julho 3, 2008

Ontem o Maracanã foi palco de mais uma final de Libertadores da América. Fluminense e LDU fizeram uma das finais mais emocionantes e equilibrada dos últimos tempos. No Equador na semana passada, a LDU jogou muito mais que o tricolor carioca e venceu por 4×2. Já no Maracanã, o Fluminense jogou muito, fez 3×1 mas acabou perdendo nos pênaltis.

O Jogo

A LDU, muito bem armada pelo técnico argentino Edgardo Bauza explorava bem o contra-ataque exposto pelo Fluminense. Já pelo lado carioca, Renato Gaúcho na minha opinião errou mais uma vez ao deixar Dodô no banco de reservas. Mas nem por isso ele deixou de armar uma equipe bem ofensiva. Ainda contou com um Thiago Neves mais do que inspirado.

O que Renato não esperava era um gol logo no ínicio dos equatorianos. Logo aos cinco minutos, Guerrón dribla fácil Ygor e cruza para Bolaños, que chuta sem chances para Fernando Henrique. 1×0!

O nense respondeu aos nove minutos. Após levantamento para dentro da área, Cícero ganha no alto e toca a bola de cabeça para Washington. O atacante, livre, domina, mas chuta para fora. Dois minutos depois saiu o gol de empate. Thiago Neves faz boa jogada individual e chuta no canto esquerdo de Cevallos. 1×1!

Aos 27, Cícero recebe arremesso lateral de Junior Cesar e cruza para Thiago Neves desempatar. 2×1 e alegria de mais de 80 mil pessoas.

 O Fluminense voltou para a etapa complementar com Dodô no lugar do volante Ygor, deixando o time mais ofensivo.

Logo aos seis minutos, Thiago Neves toca para Dodô, que chuta prensado e a bola vai na trave esquerda de Cevallos. Aos 11, Thiago Neves cobra falta com perfeição e coloca a bola no canto esquerdo de Cevallos. 3×1!

Aos 23 um susto para a torcida tricolor. Após uma jogada confusa, Bieler chuta na trave esquerda de Fernando Henrique, a bola volta e o goleiro tricolor defende. Aos 32, Darío Conca chuta de longe e Cevallos salva a LDU com o braço direito.

Prorrogação

O jogo foi pra prorrogação e depois de jogar muito no tempo normal, o Fluminense pisou no freio e ainda quase se complicou. Aos 11 da segunda etapa, Bieler é lançado dentro da área e toca de cabeça para o fundo da rede. De forma equivocada, o auxiliar anota impedimento.

No fim, aos 14, Luiz Alberto foi expulso quando Guerrón poderia ter anotado o gol do título.

Enfim, nos pênaltis, brilhou a estrela do goleiro equatoriano Cevallos, que parou as cobranças de Conca, Thiago Neves e Washington. Fernando Henrique chegou a defender um disparo dos rivais, mas pouco para evitar a derrota tricolor.

FLUMINENSE
Fernando Henrique, Gabriel (Maurício), Thiago Silva, Luiz Alberto e Junior Cesar; Ygor (Dodô), Arouca (Roger), Darío Conca e Thiago Neves; Cícero e Washington.
Técnico: Renato Gaúcho

LDU-EQU
Cevallos, Calle, Campos, Norberto Araujo e Ambrosi; Urrutia, Vera, Guerrón, Manso (William Araujo) e Bolaños (Salas); Bieler.
Técnico: Edgardo Bauza

Data: 02/07/2008 (Quarta-feira)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Héctor Baldassi (Argentina)
Auxiliares: Ricardo Casas (Argentina) e Hernán Maidana (Argentina)
Público: 78.918 (pagantes)
Renda: R$ 3.910.044,00
Cartões amarelos: Luiz Alberto, Cícero e Thiago Silva (Fluminense). Bieler, Vera e Cevallos (LDU-EQU).
Cartão vermelho: Luiz Alberto, aos 14 minutos do segundo tempo da prorrogação (Fluminense).
Gols: Bolaños, aos 5 minutos; Thiago Neves, aos 11 minutos; e Thiago Neves, aos 27 minutos do primeiro tempo. Thiago Neves, aos 11 minutos do segundo tempo.
Pênaltis: Urrutia (1 a 0); Darío Conca (1 a 0); Campos (1 a 0); Thiago Neves (1 a 0); Salas (2 a 0); Cícero (2 a 1); Guerrón (3 a 1); Washington (3 a 1).

By Fernando Arbex

Fluminense faz o jogo mais importante de sua história!

julho 2, 2008

Hoje a noite, o Maracanã será palco da final da aça Libertadores 2008. Fluminense e LDU se enfrentarão às 21h50m em busca do título mais importante da América do Sul e também da história de ambas as equipes.  ganhador vai representar a América do Sul no Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro, no Japão.

No Equador, a LDU tomou conta do jogo e fez 4×2. Hoje, o Fluminense precisa vencer por pelo menos dois gols para levar a decisão para a prorrogação. Para isso, o tricolor carioca contará com o apoio de mais de 80 mil pessoas.

Renato Gaúcho ainda faz um pouco de mistério na escalação da equipe. Mas é bem provável que Dodô novamente fique no banco de reservas.

“Já eliminamos times como São Paulo e Boca Juniors-ARG. Temos tudo para superar mais um obstáculo. O Maracanã estará lotado e a nossa torcida será fundamental”, emendou Renato Gaúcho.

Pelo lado equatoriano, o técnico Edgardo Bauza deverá perder o goleiro titular Cevallos, com uma contratura muscular. Caso ele seja vetado, o técnico vai optar pela entrada de Viteri.

FLUMINENSE
Fernando Henrique, Gabriel, Thiago Silva, Luiz Alberto e Junior Cesar; Ygor, Arouca, Darío Conca e Thiago Neves; Cícero (Dodô) e Washington.
Técnico: Renato Gaúcho

LDU-EQU
Cevallos (Viteri), Campos, Araujo, Calle e Ambrossi; Urrutia, Vera, Guerrón e Bolaños; Manso e Bieler.
Técnico: Edgardo Bauza

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data: 02/07/2008 (Quarta-feira)
Horário: 21h50
Árbitro: Héctor Baldassi (Argentina)
Auxiliares: Ricardo Casas (Argentina) e Hernán Maidana (Argentina)

By Fernando Arbex

 

Fluminense encara Boca por vaga inédita na final da Libertadores!

junho 4, 2008

Hoje o Maracanã vai tremer. Os mais de 70 mil torcedores que comparecerão a noite no estádio carioca, certamente acompanharão um jogo pra ficar na história. Uma vitória ou um empate por até 1 a 1 no Maracanã, na partida que inicia às 21h50, leva o tricolor carioca a ser o segundo time brasileiro a eliminar o Boca na história da Libertadores. Até hoje, o único que conseguiu superar o time argentino foi o Santos, de Pelé, na final de 1963.

– A torcida precisa apoiar o tempo todo. Tem de gritar, mostrar que o Maracanã é a casa do Fluminense. Esse tipo de atuação dos fãs mostra a nossa cara, a nossa personalidade. Prova disso é que ainda não perdemos aqui no Rio. É assim que tem de ser sempre – disse o atacante Washington.

A renda e o público da partida que vale uma vaga na final da Libertadores foram divulgados nesta terça-feira: R$ 1.729.117,50 para 78.856 pagantes. Este já é um dos maiores públicos de uma torcida só no estádio neste século. E para dar vazão a tanta gente, a SuperVia colocará trens extras com destino a Santa Cruz e a Japeri, após o término do jogo.

FLUMINENSE
Fernando Henrique, Gabriel, Luiz Alberto, Thiago Silva e Junior Cesar; Ygor, Arouca, Darío Conca e Thiago Neves; Cícero e Washington.
Técnico: Renato Gaúcho

BOCA JUNIORS-ARG
Caranta (Migliore), Ibarra, Cáceres, Paletta e Morel Rodríguez; Chávez (Vargas), Battaglia, Datolo e Riquelme; Palacio e Palermo.
Técnico: Carlos Ischia

Data: 04/06/2008 (Quarta-feira)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Horário: 21h50
Árbitro: Carlos Torres (Paraguai)
Auxiliares: Manuel Bernal (Paraguai) e Emigdio Ruiz (Paraguai)

By Fernando Arbex

 

LDU é o primeiro finalista da Taça Libertadores!

junho 4, 2008

A equipe equatoriana da LDU conseguiu ontem uma vaga inédita na história do clube. O empate em 0x0 contra o América-MEX em casa, garantiu o clube equatoriano o direito de jogar a final da Taça Libertadores da América 2008. Na partida de ida, o jogo foi 1×1, e a LDU classificou na volta por fazer mais gols fora de casa.

O jogo foi de um índice técnico horrível. Ambas as equipes não criaram muitas oportunidades no estádio Casa Blanca que estava lotado. Na etapa final, a partida melhorou mas nenhuma das equipes conseguiu furar a zaga adversária.

A LDU, assim, espera pelo vencedor da outra semifinal, que será disputada nesta quarta-feira, no Maracanã, entre Fluminense e Boca Juniors.

LDU
Cevallos; Ambrossi, Araujo, Calle e Vera; Urrutia, Manso (W. Araujo), Salas (Vaca) e Bieler (Delgado); Guerrón e Campos
Técnico: Edgardo Bauza

AMÉRICA-MEX
Ochoa; Castro, Rojas, Rodríguez e Sánchez; Villa, Juan Carlos Silva (Mosqueda), Jesús Sánchez e Esqueda (Higuain); Cabañas e Hernán Rodríguez López (Argüello)
Técnico: Juan Antonio Luna

Data: 3/6/2008 (terça-feira)
Local: estádio Casa Blanca, em Quito (Equador)
Árbitro: Pablo Pozo (CHI)
Auxiliares: Patrici Basualto e Osvaldo Talamilla (ambos chilenos)
Cartõea amarelos: Vera, Calle (L); Jesús Sánchez, Juan Carlos Silva, Sánchez (A)
Cartões vermelhos: Sánchez, Argüello (A)

By Fernando Arbex

 

Fluminense arranca empate com Boca na Argentina!

maio 29, 2008

Em jogo válido pela semi-final da Taça Libertadores, o Fluminense segurou o poderoso Boca e agora decide a vaga em casa, no Maracanã.

O primeiro tempo foi bastante equilibrado. Mas logo no começo, o Boca abriu o placar. Aos 11, o Fluminense sai jogando errado, Palacio recebe a bola nas costas de Junior Cesar e toca para Riquelme marcar.

Logo em seguida, o tricolor carioca empatou. Aos 15, Thiago Neves cobra falta pela direita, Thiago Silva sobe e cabeceia a bola para o fundo da rede.

Aos 17, o flu toma um susto. Após troca de passes do Boca Juniors, a bola chega até Chávez que manda na trave esquerda de Fernando Henrique.

Aos 34, Após tabelar com Chávez, Riquelme toca para Datolo, que perde o gol na frente de Fernando Henrique. O primeiro tempo fica no 1×1.

Na segunda etapa, o Boca voltou melhor e pressionou o Flu no início. Logo aos 2, após levantamento para dentro da área, Palermo testa e Fernando Henrique manda escanteio. Na cobrança, Paletta cabeceia e, novamente, o goleiro salva o Fluminense.

Aos 5, Riquelme bate falta e Fernando Henrique voa e espalma a bola. Mas aos 19…

 Riquelme cobra falta e coloca a bola no ângulo esquerdo de Fernando, que nada pôde fazer. A partir daí, o Fluminense cresce e volta a jogar de igual pra igual.

Aos 31, Thiago Neves pega rebote da zaga do Boca Juniors, arrisca de longe, Migliore falha e a bola morre no fundo da rede.

A partida de volta, dia 4 de junho, será realizada no Maracanã. O Fluminense, além da vitória simples, joga por empate em até 1 a 1. O vencedor pega América-MEX ou LDU-EQU na grande decisão. Novo 2 a 2 leva a decisão para os pênaltis. Igualdade a partir de 3 a 3 classifica o Boca Juniors.

BOCA JUNIORS-ARG
Migliore, Maidana (Ibarra), Cáceres, Paletta e Morel Rodríguez; Chávez (Cardozo), Battaglia (Vargas), Datolo e Riquelme; Palacio e Palermo.
Técnico: Carlos Ischia

FLUMINENSE
Fernando Henrique, Luiz Alberto, Thiago Silva e Maurício (Romeu); Gabriel, Arouca, Cícero, Darío Conca, Thiago Neves (Roger) e Junior Cesar; Washington (Dodô).
Técnico: Renato Gaúcho

Data: 28/05/2008 (Quarta-feira)
Local: Juan Domingo Perón, Buenos Aires (Argentina)
Árbitro: Roberto Silvera (Uruguai)
Auxiliares: Mauricio Espinosa (Uruguai) e Robert Muniz (Uruguai)
Cartões amarelos: Chávez, Riquelme e Cáceres (Boca Juniors-ARG). Junior Cesar, Romeu e Fernando Henrique (Fluminense).
Gols: Riquelme, aos 11 minutos; e Thiago Silva, aos 14 minutos do primeiro tempo. Riquelme, aos 19 minutos; e Thiago Neves, aos 31 minutos do segundo tempo.

By Fernando Arbex

 

Riquelme “coloca” Boca na final da Libertadores!

maio 27, 2008

O meia Riquelme do Boca Juniors afirmou ontem na Argentina, que seu atual clube está muito perto de jogar a final da Taça Libertadores denovo. Apesar de todas as dificuldades que o clube argentino passou neste ano, o meia demonstrou favoritismo total do Boca contra o Fluminense amanhã.

“Estamos muito perto de jogar outra final. O Fluminense joga bem e sério. Será complicado na quarta-feira, mas sei que a torcida vai cantar os 90 minutos”, afirmou o argentino, em entrevista ao canal TyC Sports.

E apesar da hegemonia dos últimos 10 anos, Riquelme não acredita que o clube assuste as outras equipes.

“Temos uma maneira de jogar e confiamos nela. Não acredito que os outros clubes tenham medo de nós”, disse o jogador, que ajudou a eliminar um clube brasileiro, o Cruzeiro, com vitória em pleno Mineirão.

By Fernando Arbex

Mais de 70 mil são esperados hoje no Maracanã!

maio 21, 2008

O jogo entre Fluminense e São Paulo promete ser de arrepiar. Mais de 60 mil ingressos já foram vendidos, e a diretoria do tricolor carioca acredita que mais de 70 mil estarão no Maracanã, às 21h50, para empurrar o time contra o tricolor paulista.

Até a bola rolar, quem leva vantagem no duelo é o São Paulo, pois venceu a primeira partida pelo placar mínimo. Para seguir no campeonato, o time de Renato Gaúcho precisa vencer por dois gols de diferença. O 1 a 0 para os cariocas leva a decisão para os pênaltis.

FLUMINENSE X SÃO PAULO

FLUMINENSE
Fernando Henrique, Gabriel, Luiz Alberto, Thiago Silva (Roger) e Junior Cesar; Ygor, Arouca (Cícero), Darío Conca e Thiago Neves; Dodô (Cícero) e Washington
Técnico: Renato Gaúcho

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Jancarlos (Éder), Miranda, Alex Silva, e Richarlyson; Fábio Santos, Zé Luis, Hernanes e Jorge Wagner (Hugo); Dagoberto (Borges) e Adriano
Técnico: Muricy Ramalho

Data: 21/05/2008 (quarta-feira)
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro
Horário: às 21h50
Árbitro: Carlos Amarilla (PAR)
Auxiliares: Manuel Bernal (PAR) e Tiburcio Gauto (PAR)

By Fernando Arbex

Santos perde no México e se complica!

maio 16, 2008

O Santos falou a semana inteira que não poderia ficar desatento com o atacante “gordinho” Cabañas do América-MEX. Mas a exemplo do Flamengo na semana passada, o atacante deitou e rolou e colocou sua equipe a um passo da semi-final da Libertadores da América.

O time da baixada começou o jogo nervoso e errando muitos passes. Mas conseguia conter os avanços do América. Só que aos 23 minutos, a defesa santista falha por cima em jogada de escanteio. Cabañas aproveita vacilo e abre placar.

O gol mexicano fez com que o Santos ficasse mais nervoso ao invés de crescer na partida. Aos 42,  livre na área, Esqueda cabeceia para fora do gol, para sorte de Fábio Costa. No minuto seguinte, Fábio Costa se atira no pé de Rojas e depois impede gol de cobertura de Cabañas.

No segundo tempo, Leão colocou Rodrigo Tabata no lugar de Molina. A alteração em nada resultou, já que só deu América.

Aos 16, nova bobeada da defesa santista, que permitiu avanço sem marcação em Cabañas. O paraguaio não teve dificuldade em tirar o goleiro do lance e fazer 2×0.

Aos 19, Rodrigo Souto arrisca mas Uchoa defende. Aos 45, Kléber Pereira recebe passe de Tripodí, finta Ochoa e marca. Árbitro assinala incorretamente impedimento e invalida o lance.

AMÉRICA
Ochoa, Castro, Sanchez, Sebá Dominguez; Ismael Rodríguez, Oscar Rojas, Germán Villa e Alejandro Argüello (Sanchez); Juan Carlos Silva, Cabañas e Esqueda (Mosqueda)
Técnico: Juan Antonio Luna

SANTOS
Fábio Costa; Betão, Marcelo, Fabão e Kléber; Rodrigo Souto, Marcinho Guerreiro (Adriano) e Molina Tabata); Wesley (Trípodi), Kléber Pereira e Lima
Técnico: Emerson Leão

Local: estádio Azteca, na Cidade do México (MEX)
Árbitro: Hectro Baldasi (ARG)
Auxiliares: Francisco Rocchio e Sergio Cagni (ARG)
Cartões amarelo: Fabão
Gols: Cabañas, aos 23min do primeiro tempo e 16 min do segundo tempo

By Fernando Arbex

São Paulo vence Fluminense e fica próximo da semi-final da Libertadores!

maio 15, 2008

No duelo de tricolores, o paulista levou vantagem sobre o carioca. Empurrado por mais de 60 mil pessoas, o São Paulo bateu o Fluminense por 1×0 e ficou muito próximo da semi-final da Taça Libertadores da América.

Mesmo com uma equipe mais ofensiva, com Dodô no lugar de Conca, o time de Renato Gaúcho quase não deu trabalho para Rogério Ceni, a não ser em um chute de Thiago Neves ao 10 minutos do segundo tempo e um de Conca aos 40.

Já o São Paulo, mesmo com três volantes, foi superior os 90 minutos. Adriano estava em uma noite inspirada e incomodou muito a zaga do flu. Aos 20 minutos da primeira etapa, Dagoberto bate cruzado pelo lado esquerdo. Fernando Henrique espalma para o meio da área e Adriano completa para o gol com calma: 1 a 0.

No segundo tempo o tricolor paulista ainda teve mais duas oportunidades de ampliar. Aos 5, Richarlyson emenda chute forte, mas Fernando Henrique salva o Fluminense. E aos 13, Dagoberto se livra de dois adversários, mas chuta para fora.

Agora, a equipe do técnico Renato Gaúcho precisa vencer o jogo de volta, que acontece na próxima quarta-feira, por dois gols e ainda não sofrer nenhum. Caso vença somente por 1 a 0, a decisão vai para as penalidades. Qualquer empate dá a vaga ao time paulista.

SÃO PAULO 1X0 FLUMINENSE

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Jancarlos, Miranda, Alex Silva e Richarlyson; Fábio Santos, Zé Luis, Hernanes e Hugo; Dagoberto (Aloísio) e Adriano
Técnico: Muricy Ramalho

FLUMINENSE
Fernando Henrique, Gabriel, Luiz Alberto, Roger e Júnior César; Ygor, Arouca, Cícero, Thiago Neves (Darío Conca) e Júnior Cesar; Washington e Dodô.
Técnico: Renato Gaúcho

Data: 14/05/2008 (quarta-feira)
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo
Árbitro: Óscar Ruiz (COL)
Auxiliares: Humberto Clavijo (COL) e Rafael Rivas (COL)
Público: 61.593 pagantes
Renda: R$1.716.276,00
Cartões amarelo Thiago Neves (F), Jancarlos (SP), Dagoberto (SP), Hernanes (SP), Roger (F)
Gols: Adriano, aos 20min do primeiro tempo

By Fernando Arbex

Mais de 40 mil ingressos vendidos para o jogo do São Paulo!

maio 13, 2008

O Morumbi vai tremer amanhã. O duelo de tricolores pelas quartas-de-final da Libertadores será assistido por um excelente público(provavielmente baterá o recorde do Estado que pertence ao Corinthians). São Paulo e Fluminense nunca se enfrentaram pela competição.

Até o fechamento das bilheterias ontem, o saldo das vendas alcançou a marca de 40.508 bilhetes.

‘Você ter o torcedor ao seu lado é fundamental para os jogadores exercerem melhor o futebol. Aqui, o torcedor nos dá tranqüilidade’, comemorou o zagueiro Alex Silva. ‘Com o Morumbi lotado, a garra é diferente. Naquela bola que você tira do adversário, a vibração é diferente’, emendou.

O tricolor paulista sabe que será importante vencer este jogo, já que enfrentar o tricolor carioca no Maracanã é muito difícil.

By Fernando Arbex

São Paulo vence Nacional-URU e avança na Libertadores!

maio 8, 2008

Depois do empate em 0x0 no Uruguai, o São Paulo entrou ontem no gelado Morumbi com a missão de vencer o Nacional. Sem poder contar com Jorge Wagner contundido, Muricy Ramalho apostou em Hugo no meio de campo. E esse foi o maior problema.

O meia mostrava-se visivielmente fora de forma (afinal, essa foi sua terceira partida no ano) e não se entendia com Richarlyson que foi muito criticado pela torcida são paulina.

Aos 2, Fornaroli levanta a bola na área e encontra Richard Morales. O grandalhão uruguaio só consegue escorar a bola, que vai para a linha de fundo. Aos 10, Hugo bate escanteio fechado e obriga Viera a fazer boa defesa.

O jogo esfria e irrita a torcida. Mas aos 37, Éder Luis cruza para a área do Nacional. Os zagueiros falham e Adriano completa com o pé esquerdo para o gol.

Logo no início da segunda etapa, o lateral-direito Cabarello foi expulso por cometer falta violenta e Richarlyson.

Aos 10, Bertolo avança pela direita, se livra de Alex Silva, mas pára nas mãos de Rogério Ceni. Três minutos depois, Viera se enrola e Adriano consegue tomar a bola e cruzar para Richarlyson, que chuta forte para defesa do goleiro uruguaio.

Aos 23, Hugo recebe bola na direita, ajeita e bate forte, mas para fora, irritando a torcida do São Paulo. E no calar da noite, aos 45, Dagoberto arranca pelo lado direito e amplia para 2 a 0 a vantagem tricolor.

Agora o São Paulo enfrenta o Fluminense. O primeiro jogo no Morumbi e o segundo no Maracanã.

By Fernando Arbex

Boca elimina Cruzeiro no Mineirão!

maio 8, 2008

Bastava fazer 1×0 que estaria classificado. A missão parece fácil, ainda mais sabendo que seu time jogará em casa e com apoio de mais de 60 mil pessoas. Mas acho que não avisaram para o Cruzeiro que o adversário era o Boca Juniors, papa títulos da Libertadores e  atual campeão do torneio.

O Cruzeiro começou pressionando o Boca, que jogava atrás e sem afobação. Mas o time celeste não criava quase nada, e tentava entrar na área argentina na base do chuveirinho. A partir dos 20, o Boca começa a apresentar o futebol de sempre e cresce na partida.

Aos 33, Palácios, após enfiada de Riquelme, entrou livre e na saída do goleiro Fábio tocou a bola para fora, desperdiçando a chance de abrir o marcador. Mas aos 36, Dátolo puxou contra-ataque, levando a bola para o campo do Cruzeiro e serviu a Palácios, que acertou belo chute, vencendo o goleiro Fábio. 1×0 Boca!

O gol animou ainda mais os argentinos, já que o Cruzeiro precisaria de três gols agora. Aos 39 o Cruzeiro respondeu. Wagner fez bom cruzamento, da esquerda, colocando a bola na medida para chute de primeira de Marcelo Moreno, que errou por pouco.

Aos 43, mais uma ducha de água fria no Cruzeiro. Palermo, de cabeça, fez 2 a 0 para o time argentino, aproveitando cruzamento da esquerda de Riquelme.

O Cruzeiro voltou com Marcinho no lugar de Guilherme e com a obrigação de fazer quatro gols, sem sofrer nenhum outro, para conseguir se manter na Libertadores.

O time veio pra cima do Boca. Logo aos 6, Charles cruzou da direita, o goleiro Caranta não conseguiu cortar o cruzamento e Marcelo Moreno, livre, cabeceou para fora. Aos 11 veio o gol cruzeirense. Wagner, em belo voleio, aproveitando rebote do goleiro Caranta, após cruzamento de Marcinho e reacendendo as esperanças do torcedor celeste.

No minuto seguinte, Riquelme desperdiçou a chance de fazer o terceiro gol do Boca, ao bater e errar por pouco o alvo.

Aos 23, a última boa chance do Cruzeiro. Mais uma grande jogada de Wagner, que cruzou bem da esquerda e Marcelo Moreno cabeceou a bola na trave.

O clube argentino repetiu o placar pelo qual havia vencido a primeira partida, há uma semana, em La Bombonera, garantindo sua vaga às quartas-de-final do torneio. Agora o Boca pega o Atlas-MEX que eliminou na terça o Lanús-ARG.

Cruzeiro
Fábio; Jonathan (Apodi), Thiago Heleno, Espinoza e Marquinhos Paraná; Fabrício, Charles (Henrique), Ramires e Wagner; Guilherme (Marcinho) e Marcelo Moreno
Técnico: Adilson Batista

Boca Juniors
Mauricio Caranta; Maidana, Cáceres, Morel Rodrigues e Fabián Monzón; Dátolo (González), Sebastián Battaglia, Fabián Vargas (Ledesma) e Riquelme; Palacio e Palermo (Boselli)
Técnico: Carlos Ischia

Data: 7/5/2008 – quarta-feira
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Público: 61.471 pagantes
Árbitro: Carlos Chandía (Chile)
Assistentes: Julio Cristian e Julio Díaz (Chile)
Cartões amarelos: Ramires, Marcinho, Andrey e Thiago Martinelli – ambos estavam no banco (Cruzeiro); Maidana, Vargas, Caranta (Boca Juniors)
Cartões vermelhos: Ramires (Cruzeiro)
Gols: Palacio, aos 36min, e Palermo, aos 43min do primeiro tempo; Wagner, aos 11min do segundo tempo

By Fernando Arbex

Flamengo dá vexame na despedida de Joel e está fora da Libertadores!

maio 8, 2008

Era pra ser uma noite de festa. Mesmo sendo a despedida de um treinador que se tornou ídolo de uma nação tão grande como a do Flamengo. Joel Santana sabia que a classificação para as quartas-de-final da Libertadores estava quase garantida. Bom, eu disse quase…

Depois de vencer o América-MEX no México por 4×2 no primeiro jogo, o time carioca poderia perder por um gol de diferença que estaria classificado. Mais de 50 mil pessoas compareceram ao duelo.

O mengo começou o jogo pressionando. Não arriscava muito, mas ficava mais com a bola no pé. Mas quando o América chegou… Aos 20, Cabañas arrisca de longe e manda a bola no ângulo direito de Bruno.

O Flamengo respondeu no minuto seguinte. Juan recebe a bola na entrada da área e chuta para a grande defesa de Ochoa, que manda a escanteio. Aos 36, após centro da esquerda, Souza cabeceia, mas Ochoa faz ótima defesa e evita o empate do Flamengo.

Aos 38, o América ampliou. Num contra-ataque, Esqueda recebe livre e toca na saída do goleiro Bruno. 2×0 América!

A torcida pede Obina.

“O time está sem vontade e nos acomodamos. Falta motivação. As vaias não estão me incomodando. Estou tranqüilo”, destacou Souza, na saída para o intervalo.

Na segunda etapa, atendendo a pedidos, Joel trocou Kléberson por Obina na busca agora do gol que classificaria o Flamengo.

Mas quem começa pressionando é o time mexicano. Aos 3, Silva recebe de Cabañas, dribla Ibson e chuta, com perigo, à direita de Bruno. Aos 14, o mengo responde. Leonardo Moura cruza da direita, a bola sobra para Diego Tardelli. O atacante chuta, a bola bate num defensor e não entra.

Aos 19,  Juan recebe bola da esquerda, emenda de primeira e ela “tira tinta” do travessão do América. Aos 32, o gol que silenciou o Maracanã. Cabañas cobra falta, a bola desvia na barreira e mata o arqueiro Bruno. 3×0 América!

Agora, os mexicanos, nas quartas-de-final, esperam por Cúcuta Deportivo-COL ou Santos.

FLAMENGO
Bruno, Leonardo Moura, Leonardo, Ronaldo Angelim e Juan; Jaílton (Renato Augusto), Kléberson (Obina), Ibson e Toró; Marcinho e Souza (Diego Tardelli).
Técnico: Joel Santana

AMÉRICA-MEX
Ochoa, Sánchez, Sebá e Rodríguez; Castro, Villa, Argüello (Mosqueda), Silva e Rojas; Esqueda (Iñigo) e Cabañas (Higuain).
Técnico: Juan Antonio Luna

Data: 07/05/2008 (Quarta-feira)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Alfredo Intriago (Equador)
Auxiliares: Juan Cedeño (Peru) e Félix Badaraco (Equador)
Público: 47.615 pagantes/ 50.954 presentes
Renda: R$ 1.031.926,00
Cartões amarelos: Leonardo e Marcinho (Flamengo). Rojas, Esqueda, Rodríguez e Villa (América-MEX).
Cartão vermelho: Juan, aos 39 minutos do segundo tempo (Flamengo).
Gols: Cabañas, aos 20 minutos; e Esqueda, aos 38 minutos do primeiro tempo. Cabañas, aos 32 minutos do segundo tempo.

By Fernando Arbex